Como surgiu a tradição de usar Vestido de Noiva?

23/12/2014 por Fernanda Barni de Almeida comentários

the-young-victoria-wedding-scene

Este assunto pode causar uma certa “estranheza” no mundo MODERNINHO em que vivemos hoje! Mas na Idade Antiga, exatamente como assistimos em alguns filmes em preto e branco, os casais não se casavam por amor e a cerimônia não tinha exatamente a “cara” que tem hoje.

O casamento era uma espécie de acordo formal, firmado entre o Noivo e o pai da Noiva. Estes contratos serviam para unir as famílias de uma mesma classe social, perpetuar seus sobrenomes e fazer com que os patrimônios permanecessem entre eles.

A cerimônia de casamento oficial, parecida com a que é formalizada hoje em dia, na presença de juízes e testemunhas, só começou a acontecer na Roma Antiga, quando surgiu a necessidade de “legalizar” as famílias e organizar os bens e as heranças.

E quanto à Noiva… na Bíblia já existiam relatos de que elas se preocupavam em vestir algo especial no dia do seu casamento. Na Roma Antiga, as Noivas vestiam-se com luxuosos vestidos coloridos, mostrando à sociedade que suas famílias tinham um alto poder aquisitivo. Já na Idade Média, as Noivas se casavam em vestidos vermelhos. Na Grécia, usavam cores escuras e até vestidos estampados.

A clássica tradição de usar um vestido de Noiva branco no dia do casamento, tem uma história bem mais recente.

Não se sabe exatamente quem foi a primeira Noiva a se casar de branco. Alguns historiadores afirmam que foi a Rainha Escocesa Mary Stuart, no Século XVI, que fez uma homenagem ao brasão de sua família e casou-se de branco. Outra teoria é de que foi Maria de Médici, na França do Século XVII, que se casou em um modelo branco com dourado.

Contudo, até onde se sabe, quem iniciou a tradição do vestido de Noiva branco, inspirando tantas outras mulheres até os dias de hoje, foi a Rainha Vitória, na Inglaterra, em 1840. Poderosa e romântica, foi ela quem “inventou” a celebração do matrimônio nos moldes como são apresentados hoje, quebrando muitos paradigmas da sua época.

Já monarca e apaixonada pelo seu primo Alberto, o PEDIU EM CASAMENTO e foi a primeira Noiva com a liberdade de se CASAR POR AMOR. Além de um vestido e um véu na cor branca, a Rainha trocou sua coroa oficial por um adorno feito com flores de laranjeira para os cabelos.

A modelagem do vestido tipo princesa, também foi pensada pela Rainha Vitória. Ela queria utilizar muitos metros de tecido em seu vestido, para demonstrar ao povo o sucesso da indústria têxtil francesa. E deu certo! Noivas românticas escolhem se casar em belíssimos vestidos-princesa até os dias de hoje.

O impacto deste casamento foi tão grande na sociedade, que o casamento arranjado acabou sendo rejeitado e as Noivas começaram a imitar a Rainha, escolhendo seus próprios parceiros, e também, usando vestido e véu brancos. Isso para quem podia pagar pelo tecido na cor branca, que na época, era muito caro.

Foi também no casamento entre a Rainha Vitória e o príncipe Alberto, que foi utilizada pela primeira vez a música de Felix Mendelssohn para a entrada da Noiva. Desde então, a marcha nupcial de Mendelsson, uma música que havia sido composta para uma apresentação teatral, tornou-se uma das principais melodias utilizadas em cerimônias de casamento no mundo.

As fotos que ilustram este post são do filme a “Jovem Vitória”, do diretor Jean-Marc Vallée, que conta esta linda história de amor e foi ganhadora de um Oscar de melhor figurino no ano de 2010. Vale a pena assistir!

postado por
Fernanda Barni de Almeida
Formada em Direito, descobri não ter talento para falar de coisas tristes. Romântica e apaixonada, criei o OMG para falar do que mais gosto: o amor.
comentários